WEB GEAR

A tecnologia por trás da internet

O velho C vai para a web agosto 26, 2008

Filed under: Uncategorized — marcelosurcin @ 8:55 pm
Tags: , , ,

Essa é uma notícia que pode animar até os programadores mais veteranos. Até quem é das antigas e vira a cara para as linguagens de script poderá entrar na onda das aplicações web programando com o bom e velho C (e também com Python).

A idéia veio de um engenheiro da Adobe chamado Scott Petersen, que criou ferramentas que permitem importar bibliotecas escritas em C para o Flash. Numa demonstração, Petersen rodou uma aplicação em Flash com os jogos Quake e Zelda, ambos com som e uma velocidade relatada como aceitável.

Para tornar isso possível foi usada uma máquina virtual de ActionScript chamada Tamarim. Ela é compatível com as especificações do Flash 10 (ECMAScript), tem código aberto e conta com o apoio da Fundação Mozilla.

Se depender do pedigree dos envolvidos no projeto, tem tudo para dar certo. Se depender da tradução do nome do projeto, ele vai ser um mico.

 

Hello world! agosto 19, 2008

Filed under: Uncategorized — marcelosurcin @ 7:28 pm

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

 

Análise do TechCrunch 50 (parte I) agosto 10, 2008

Filed under: Análises e Eventos,Uncategorized — marcelosurcin @ 7:46 pm
Tags: , , , , ,

O show do TechCrunch 50 (parte I)

Promovido pelo blog TechCrunch, o evento TechCrunch 50 reuniu nomes de peso e iniciantes. Colocou frente à frente empreendedores em busca do primeiro empurrãozinho e gigantes Marrissa Mayer, do Google, e Chris DeWolfe, do MySpace.  O primeiro dia de apresentações teve até a apresentação de uma rede social criada pelo ator Ashton Kutcher, famoso por “O Efeito borboleta” (e por casar com a Demi Moore).

A seguir (e nos próximos posts) faço um resumo com alguns destaques. Se você leu descobriu alguma novidade bacana que não foi contemplada aqui… mande uma dica nos comentários.

Crianças na mira
No ponta-pé inicial do evento pelo menos cinco projetos mostraram idéia que misturam compartilhamento de arquivos e redes sociais para conquistar corações e mentes dos jovens internautas. Merecem destaque;

O Tweegee mira os usuários na faixa entre 8 e 14 anos. A idéia é reunir jogos e páginas pessoais em uma rede segura, isto é, sem material pornográfico, ofensivo (e filtrando a pirataria). Assim, cada moleque teria 1 GB de espaço online para guardar e compartilhar vídeos, músicas e de quebra brincar com miniaplicativos desfarçados de jogos casuais.

O Blah Girls, de Ashton Kutcher, tem as meninas adolescentes como alvo. Sua meta é criar um espaço para vídeos sobre celebridades, fã-clubes e a troca de fofocas entre amigas. Apesar de parecer fútil, o site já tem um plano de negócios bem fundamentado, baseado em publicidade que apareceria entre os vídeos.

Outra idéia que merece destaque é o iThryv.com, que tem como intenção iniciar os jovens no planejamento de gastos e nos investimento, dando dicas de como poupar dinheiro e ver como fazer pequenos investimentos.

MySpace off-line via Google Gears
Mais um exemplo da amizade colorida entre Google e MySpace. Desta vez, o fundador da rede social disse com todas as letras que prepara uma versão off-line do seu site. O objetivo implícito da jogada é transformar a rede social em uma espécie de media player integrado com loja virtual, assim entrando em rota de colisão com o iTunes.

Internet embutida
Sem tanto destaque, mas com intenções muito boas, está o serviço KallOut, que cria menus de contexto para cada texto selecionado com o mouse. Em um documento do Word, por exemplo, bastariam dois cliques para enviar o trecho por e-mail ou pesquisar um termo na Wikipedia ou no Google Maps. Nos vídeos e demonstrações funciona de forma surpreendentemente simples e boa. Usuários de Windows XP e Vista já podem experimentar o serviço.

Outra iniciativa bacana é o Dotspots, que permite adicionar “bolhas” de comentários em qualquer trecho de texto publicado na internet. Usuários cadastrados no serviço poderiam ver o que seus pares acharam de uma notícia ou dar suas opiniões simplesmente deixando o mouse sobre um pequeno link. Se o mundo inteiro usasse isso, poderia virar uma bagunça. Mas como projeto, parece legal.

Monitoramento de reputação
Toda empresa de porte já está bastante atenta ao comportamento dos seus clientes na internet. E o site StockMood quer facilitar o trabalho dessas empresas. Usando inteligência artificial o serviço promete analisar notícias que falam sobre uma marca ou produto e definir se a cobertura da imprensa e dos blogueiros está sendo negativa ou positiva. Em um caso ou em outro, a ferramenta cria uma métrica que relaciona a popularidade do item com o comportamento das ações da empresa. Tudo isso com gráficos e em uma interface que lembra bastante o Google Analytics. Marissa Mayer do Google, disse que “amou” o StockMood.